Dicas, Especiais

Você conhece figo-da-índia?

Esse fruto originário do México oferece uma polpa saborosa, suculenta e refrescante ainda pouco conhecido no Brasil. De sabor adocicado, contrasta a delicadeza de suas flores com os espinhos quase invisíveis, mas nada inofensivos que se espalham por sua casca.

Na região Sudeste o figo é produzido comercialmente, mesmo assim é difícil de encontrar em feiras em supermercados e seu valor geralmente é alto.

No verão sempre temos essa fruta, pois na casa dos meus pais, em Serra Gaúcha, por incrível que pareça, esses cactos se desenvolveram muito bem e a cada ano nos presenteiam com muitas dessas delícias.

Leia abaixo  algumas curiosidades extraídas do livro: Livro Frutas Brasil Frutas:

No século 12, conta Clara Inés Olaya, os astecas deixaram Aztlán e iniciaram uma longa peregrinação em direção ao sul, em busca de um lugar para fixar morada. Por quase dois séculos caminharam, nômades, à procura do lugar ideal, até que um sacerdote deu ouvidos ao deus Huitzilopochtli, que ordenou: “Diz a todos os teus companheiros que no nopal onde habita a águia hão de povoar e que lá verão engrandecidas as suas gerações”. Então, em 1325, próximo ao lago Texcoco, avistaram a cena que nos séculos seguintes viria a simbolizar seu império: a águia pousada sobre aquela cactácea, onopal, com seus frutos maduros cobertos de pétalas vermelhas. Ali, fundaram Tenochtitlán, que significa “lugar onde o nopal cresce sobre a pedra”, hoje conhecido como Cidade do México.

O nopal, essa planta cactácea das zonas áridas, também é conhecido, no Brasil e em outras partes da América, como figo-da-índia. Explicar a origem desse nome, no entanto, não é tarefa fácil, uma vez que nem se trata de uma fruta da família do figo, nem é proveniente da Índia.

Ainda segundo Olaya, a partir do século 17, por iniciativa dos espanhóis que viram naquele fruto uma boa fonte de tinta corante vermelha, muito valorizada na época, o figo-da-índia espalhou-se por toda a europa, sobretudo na região do Mediterrâneo. Daí ganhou outros continentes, ocupando também a Ásia e o norte da África. Não se sabe ao certo como a fruta entrou no Brasil, mas presume-se, com base em seu nome, que não tenha vindo diretamente do México.

No Brasil, em diversos lugares o figo-da-índia é confundido com o fruto da palma, planta da mesma família e gênero (Opuntia), que recebe esse nome por ter forma de palmatória.

____________________________________________________________________________________________________________

Suco de Figo-da-índia

Ingredientes:
6 figo-da-índia
300 ml de água gelada

Modo de fazer:
Com muito cuidado para não se machucar com os espinhos, espete um garfo em uma das extremidades do figo-da-índia, descasque sem tocá-lo, assim que todos os figos estiverem sem casca lave-os muito bem, assim como o recipiente, faca e garfo para que não reste nenhum espinho.

Coloque no liquidificador os figos, a água gelada e bata bem. Coe, descarte as sementes e sirva bem gelado.

A inspiração vem daqui.